sábado, 29 de setembro de 2012



Hoje, ele só conta consigo. Descarrega toda a sua cólera no exercício físico, e acaba por fortalecer o seu ser tanto fisicamente como emocionalmente. Trabalha até à exaustão, e todos os dias supera os seus limites. Tenta adaptar-se ao que outrora chegou a ser: um ser sozinho. Um alguém que fora os seus progenitores, dependia apenas de si. Nos momentos em que tinha de chorar, fazia-o no seu canto. Nunca precisou de ninguém para lhe acompanhar, porque caso tivesse de contar, sabia que poderia contar sempre com ele. E ele era assim: um ser isolado, que não confiava em quem quer que seja. A verdade é que esta sua maneira de ser deve-se também ao receio da dor provocada por outros, pois sempre que dá tudo, ele acaba desiludido. Sofre. E não aguenta. Ele não aguenta mais. Por muito que seja a sua presente vontade de chamar, ele não chama, porque também sabe que não pode chamar. Ele não pode escrever, nem sequer ligar. Ele tem medo de piorar seja lá qual for a relação que tem com a alma que habita no seu órgão vital. Por isso, deixa-se estar. Sufoca. Rebenta dentro de si mesmo, consumindo-se. Acumula a dor, terminando a maior parte das vezes com uma lágrima junto ao olho. E a sua noite, torna-se num martírio. Contudo, ele já de pouco ou nada quer saber. Ele mudou, e agora nem genuinamente sorri. Por fim, ele desaparece, e faz-se acompanhar da escuridão.

(photo taken by me)

11 comentários:

  1. há sempre um lado bom e é esse que nós devemos valorizar e agarrar-nos, espero que a escuridão passe e que tudo melhore :)

    ResponderEliminar
  2. Já passei por algo parecido com o que descreves e a única coisa que te posso dizer é que com o tempo essa dor vai acabar por diminuir e que irás conseguir encontrar alguém que te compreenda e com quem possas contar. Nunca desistas, já sabes :)
    Nunca pensei que morássemos tão perto um do outro, mas o mundo é realmente pequeno ;)

    ResponderEliminar
  3. Muito obrigada pelo comentário:)
    Mais uma vez adorei o post , a escuridão torna-se luz que brilha fortemente :)
    xoxo, xana*

    ResponderEliminar
  4. A vida prega-nos sempre imensas partidas e só temos de aprender a lidar com elas. Melhor, a ultrapassá-las antes de cairmos. E sei que irás conseguir fazer isso se é que já não conseguiste. A tal paciência que falámos estará por detrás de tudo! :) Quem sabe se nunca nos cruzámos. O mundo é tão pequeno!

    ResponderEliminar
  5. Obrigada de coração, pelas tuas tão maravilhosas palavras. Obrigada!

    ResponderEliminar
  6. Tu és, sem dúvida nenhuma, o tipo de pessoa com quem gosto de falar. Consegues sempre trazer algo de novo à nossa conversa e fazes-me pensar no que dizes. Não desapareças, nunca! ;)

    ResponderEliminar
  7. e que ele se liberte da escuridão, rápido!

    ResponderEliminar